5 dicas para lidar melhor com a depressão

Publicado em 15 de outubro de 2018.

Depois de abordarmos os sinais de depressão, em ambos os sexos e também as características mais específicas da depressão masculina, você vai encontrar nesse post algumas dicas importantes para lidar com a depressão, mesmo antes de procurar ajuda especializada.

Isto é fundamental, uma vez que nem todos têm acesso aos serviços de saúde ou contam com o auxílio de psicólogos e/ou psiquiatras. E mesmo quando os serviços estão disponíveis, é possível que não tenhamos condições psíquicas e força de vontade suficiente para pedir ajuda.

Então, vamos explorar algumas atitudes importantes para nos ajudar a lidar melhor com a depressão:

1. Fale mais sobre o que te incomoda  – Não se isole. É fundamental que a pessoa que está se sentindo deprimida procure amigos, parentes ou pessoas nas quais ela confie para falar a respeito de suas dúvidas, aflições e problemas. Muitas vezes, apenas dividir nossos problemas a um ouvido atento já é suficiente para experimentarmos certo alívio em relação aos sintomas.

2. Exercite-se com frequência – Sim, não estou sugerindo que você faça uma caminhada apenas uma ou duas vezes por semana. O corpo precisa de movimento com razoável intensidade de 4 a 5 vezes por semana, ainda mais quando estamos deprimidos. Então caminhe, nade, pratique esportes ou matricule-se numa academia o quanto antes. Seu corpo e sua mente irão agradecer muito. Além do mais, se exercitando o corpo fabrica naturalmente os neurotransmissores que você tanto necessita para se sentir melhor.

3. Não escorregue para a bebida, drogas ou comportamentos de evitação – Somos humanos e como humanos tendemos a nos esquivar daquilo que nos causa problemas. Então buscamos alternativas que possam nos oferecer alívio imediato, um copo, uma noitada, drogas, sexo, alternativas não faltam…Em vez de se entregar a comportamentos auto-destrutivos, procure examinar o problema de frente e ver se não seria melhor buscar uma alternativa construtiva. Em geral, a médio prazo evitar grandes esbórnias e encarar de frente o problema irá ajudá-lo(a) e melhorar e muito as chances de uma recuperação.

4. Tente estabelecer e manter uma rotina saudável – Acordar cedo, ir trabalhar ou se ocupar, além de buscar uma alimentação saudável ajudam muito a organizar também o nosso ciclo circadiano, ou seja, ajuda a regular hormônios, neurotransmissores, glândulas e tudo o mais o que regula o nosso humor e a nossa força de vontade. Dormir de madrugada, acordar tarde e não fazer nada estão na lista dos comportamentos mais deletérios a serem adotados quando pensamos em depressão. Procure se ocupar, se voluntariar (mesmo quando não tiver um trabalho) e ser produtivo em sua vida. Com certeza você irá ser capaz de enfrentar melhor os períodos de baixa.

5. Tome coragem e peça ajuda –  Se nada disso adiantar depois de algumas semanas, procure ajuda. Pode ser que você não esteja apenas triste e realmente precise de auxílio psicoterápico ou médico. Não há nada de errado nisso. Milhares de pessoas se beneficiam de uma escuta profissional direcionada. Procure um psicólogo ou psiquiatra de sua confiança ou peça indicação para amigos e parentes. Esses profissionais são formados e estão capacitados para melhor ajudá-lo(a) num momento de crise. Atrasar demais a busca por ajuda pode servir apenas para aprofundar os sintomas e tornar o tratamento mais difícil e portanto mais demorado.

Ilan Segre é Psicólogo Clínico formado pela USP, pós graduado em Fitoterapia pela Fac. Mario Schenberg. Complementou sua formação como psicólogo residente no Gupta Yogic Hospital (Lonavala), Jipmer Hospital (Pondicherry) e no Nisargopchar Ashram (Pune), na Índia. Foi um dos fundadores do NUMIER – Núcleo de Medicina Integrativa do Hospital Emilio Ribas e, em 2012, publicou o livro Terapia Integrativa (ed. Ágora).  Atualmente atende em seu consultório, unindo Psicoterapia Clínica com técnicas integrativas para remissão dos sintomas.


Comentários

Olivio dos santos

Em 27 de outubro de 2018 às 19:26

Minha esposa tem depressão ela viva me acusando de coisas que eu não estou fazendo ela não acredita em mim como posso ajudala?


Ilan

Em 29 de outubro de 2018 às 13:44

Boa tarde, Olivio.

A melhor coisa é orientar a sua esposa a buscar tratamento ou vocês dois juntos buscarem uma terapia para o casal. É importante ter um profissional isento e independente, que possa olhar os conflitos do casal e ajudá-los a resolvê-los.
Abraços, Ilan


Faça um comentário (seu e-mail não será publicado)