7 sintomas mais comuns de ansiedade

Publicado em 04 de julho de 2018.

Todos nós já passamos por momentos de ansiedade. O motivo pode ser uma viagem, uma entrevista de emprego, uma apresentação importante ou apenas um encontro. Nessas ocasiões, é normal experimentarmos alguns dos famosos sintomas: coração acelerado, sudorese excessiva nas mãos e também no corpo, dores de barriga, etc. Eventualmente, dias antes de uma viagem ou encontro importante, perdemos o sono e a mente parece não querer desligar.

O problema se manifesta quando estes sinais eventuais de ansiedade começam a se manifestar frequentemente, transformando episódios eventuais em sintomas diários. Para facilitar o entendimento, separamos didaticamente 7 sinais clássicos que demonstram que está na hora de procurar ajuda. Deixar de prestar atenção à estes sinais pode levar a um aprofundamento do sintomas e até mesmo ao agravamento destes sintomas, podendo deflagrar episódios de síndrome do pânico, ou fobias, ou problemas somáticos, entre outros.

1. Agitação constante

Se você se sente constantemente acelerado, agitado e parece não conseguir se desligar, então este é o primeiro sinal de que a ansiedade está passando dos limites. A agitação constante, bem como a movimentação excessiva de braços e pernas aumenta a temperatura corporal e por isso pode ser acompanhada de sudorese excessiva, e eventualmente também de boca seca. E estes sintomas físicos ainda podem ser acompanhados pela sensação de que você precisa fazer alguma coisa, agir, de imediato…

Pois bem, este é o sinal de que o sistema nervoso simpático entrou em ação e que todo o seu corpo está agora preparado para correr ou lutar (a famosa resposta “fight or flight”). Mas na prática, como não há nenhum leão à espreita por perto, essa apreensão constante provoca um desgaste excessivo e eventualmente fadiga mental e física. O corpo manifesta esse desgaste por meio de dores musculares, cansaço e desânimo.

2. Excessiva preocupação com o futuro

É normal se preocupar e se preparar para o futuro. Todos fazemos planos e tomamos medidas de precaução para tentar garantir uma certa segurança no amanhã. Mas estar constantemente remoendo cenários ruins e ao mesmo tempo, sentindo-se incapaz de lidar com eles, caracteriza, claramente, o estado ansioso.

Mentalmente o que ocorre é uma projeção catastrófica no tempo, desenhando situações bastante negativas. E quais as consequências? Jogamos mais gasolina no fogo, gerando ainda mais ansiedade e, eventualmente, medo. Pronto! Você se tornou prisioneiro de sua própria mente.

3. Incapacidade de relaxar

Mesmo após passarmos por alguns episódios eventuais de ansiedade, o corpo reage com uma incrível capacidade de retomar a homeostase (tendência a se reequilibrar sozinho). O problema reside quando nos sentimos incapazes de retornar a esse estado, quando não conseguimos mais relaxar a tensão excessiva. A lógica mental nos diz que precisamos estar constantemente alertas. Precisamos fazer algo, mas não fazemos ideia exatamente do que…Essa inadequação da ação leva a um paradoxo: necessidade de agir mas sem qualquer direção, o que acaba por provocar um descompasso com as próprias emoções.

Muito bem, se esse processo persistir por um tempo suficiente, temos formada a base precursora da síndrome do pânico. Quando sofremos de síndrome do pânico, temos a certeza de que algo muito ruim irá acontecer em breve. Parece realmente que iremos enlouquecer ou até morrer.

4. Dificuldade de atenção / concentração

Alguns estudos científicos têm demonstrado que pessoas ansiosas acabam encontrando extrema dificuldade em se concentrar, até mesmo em tarefas simples. Isso pode ser ocasionado por um desvio da atenção para os medos futuros e para suas consequentes reações físicas, experimentadas pelo nosso corpo. Mas o fato é que a ansiedade piora incrivelmente a capacidade de concentração.

Ficamos brigando com a ideia de não conseguirmos manter o foco e com a proliferação de mil ideias na cabeça. Não conseguimos mais pegar no sono, afinal nos tornamos incapazes de desligar os radares de alerta e dormir.  Experimentamos então o próximo sintoma dessa lista…

5. Insônia

Não é difícil imaginar o que uma excessiva agitação motora, aliada a uma incapacidade de desligar, irão causar: a famosa insônia. Você deita na cama e simplesmente não consegue pregar os olhos. Vêm à sua mente todas as tarefas do dia seguinte, as pendências de trabalho ou de casa, o que precisa fazer e/ou falar na reunião com o chefe, algo que ficou pendurado da semana passada e tudo parece se suceder num turbilhão de ideias.

Muito bem, você já plantou o pé no quinto sintoma de ansiedade, que podemos traduzir também como a incapacidade de se entregar (adormecer) ou de manter o sono durante a noite. Mas calma, antes de recorrer ao remédio para dormir, é hora de avaliar o que pode estar contribuindo para essa dificuldade de se desligar e tentar corrigir o rumo desse barco.

6. Fadiga

Normalmente as pessoas demoram a buscar ajuda médica ou psicológica especializada. Com isso, esperam que seus sintomas eventuais, sejam eles desconfortos abdominais, dores de cabeça, cansaço ou vertigem, passem sozinhos. Mas com o tempo, a insônia, junto com a dificuldade de concentração e o desgaste energético causado pela projeção mental em direção ao futuro, tendem a provocar extremo cansaço físico e exaustão mental.

Estuda-se atualmente se pacientes deprimidos não passaram antes por fases de extenuação física e mental, muitas vezes sofrendo por tempo prolongado de ansiedade. Por isso mesmo, é importante não tentar “tapar o sol com a peneira” (imaginando que o desconforto já vai passar) e buscar logo ajuda especializada.

7. Irritabilidade

A fadiga aliada à falta de sono, nos torna extremamente irritados. Este sintoma é mais comum entre os homens, cuja irritabilidade  e um certo tom de agressividade são mais bem aceitos socialmente.  Sem dormir, com uma grande dificuldade de se concentrar e com o pensamento constantemente imaginando catástrofes futuras não é difícil perceber que a irritação será uma constante. O pior é que a irritação é algo difícil não apenas para a própria pessoa, como também para aqueles que estão por perto.   

Muito bem, se você leu até aqui e identificou ter um ou mais dos sintomas da lista, não se desespere. Antes de buscar aquele remedinho para dormir no armário, ou tomar uma dose para relaxar, vale investir na pesquisa dos motivos que levaram você até este estado ansioso. Existem diversas opções de tratamento e mesmo nos casos mais persistentes, existe sempre a possibilidade de auxílio via medicação. 

Esta lista não pretende esgotar as possibilidades nem as possíveis formas de manifestação da ansiedade. Caso você perceba que mesmo apenas um destes itens o esteja afetando de maneira significativa e persistente, procure um profissional especializado. Esta, continua sendo a melhor aposta para recuperar o equilíbrio perdido e reaprender a relaxar ante às vicissitudes constantes da vida.

Ilan Segre é Psicólogo Clínico formado pela USP, pós graduado em Fitoterapia pela Fac. Mario Schenberg. Complementou sua formação como psicólogo residente no Gupta Yogic Hospital (Lonavala), Jipmer Hospital (Pondicherry) e no Nisargopchar Ashram (Pune), na Índia. Foi um dos fundadores do NUMIER – Núcleo de Medicina Integrativa do Hospital Emilio Ribas e, em 2012, publicou o livro Terapia Integrativa (ed. Ágora).  Atualmente atende em seu consultório, unindo Psicoterapia Clínica com técnicas integrativas para remissão dos sintomas.

CONSULTÓRIO
Rua Ferreira de Araújo, 377, Pinheiros. São Paulo.
f: (11) 98960-0423
email: contato@ilansegre.com.br

 


Comentários

Liliana B. Marchetti

Em 06 de julho de 2018 às 11:39

Muito bom!!!!


Bruna

Em 25 de julho de 2018 às 02:42

Bom dia..
Li toda a matéria,me identifiquei com os 7 sintomas prescritos ai.
Tenho até sono,mas tenho medo de dormir as vezes.
Aliás…. tenho medo de tudo.
Não sei se pode me ajudar,mas esta ai o meu e-mail.
Desde ja,agradeço.
Bruna


Ilan

Em 08 de agosto de 2018 às 15:38

Ola Bruna. Realmente parece que você está sofrendo com fortes sintomas de ansiedade. É bem possível que o medo que está sentindo constantemente seja consequência dessa ansiedade intensa. O ideal é efetivamente marcar uma consulta com qualquer psicólogo ou psiquiatra de sua confiança para buscar entender o que está ocorrendo.


Elaine fernandes

Em 28 de julho de 2018 às 04:58

Adorei a materia pois sofro de depressão devido essa tal ansiedade patológica, trato a anos com medicamentos antidepressivo e ansiolidicos que sem sucesso , mais só aliviam sendo q antidepressivos não me dou com nenhum passo mal, só mesmo oara quebrar o galho tomo amitryptilina claro que com acompanhamento médico +ansiolidico dose ate q alta , e nunca fiquei bem de tudo, assim mesmo a tal da ansiedade me trás varios problemas fisicos e mentais , hoje mesmo estou com palpitações penso que vou ter um negocio e ja estou desesperada, ou seja estou cansada pois virei a pessoa problematica e que tenho a impressão que nunca mais vou me livrar disso .E gostaria muito de um dia ser feliz 😢😢


Ilan

Em 08 de agosto de 2018 às 15:39

Ola Elaine. Além de acompanhamento médico, você está fazendo terapia? Seria fundamental para ajudar no seu processo de restabelecimento. Abraços e melhoras.


Luana

Em 01 de agosto de 2018 às 06:15

Olá meu nome é luana preciso de ajuda porque não sei em que estagio dessa ansiedade estou ou se já é uma depressão


Ilan

Em 08 de agosto de 2018 às 15:41

Ola Luana, para entender o que está ocorrendo, o ideal é que você passe em consulta com um psiquiatra e/ou com um psicólogo para compreensão dos sintomas e encaminhamento do tratamento. Esses profissionais são treinados e especializados em identificar e propor formas de tratamento seja para a ansiedade ou para a depressão. Abraços.


Vandernildes

Em 05 de agosto de 2018 às 16:29

Olá me indentifiquei com alguns assuntos sitados aqui, estou sentido as mãos e pés frios sinto o estômago e com medo de passar mau. Acho que é síndrome do pânico gostaria de mais informações do especialista de vcs. A pressão fica alta devido o nervosismo.
Mais eu estou dormindo bem!


Ilan

Em 08 de agosto de 2018 às 15:43

Ola Vandernildes. a Síndrome do Pânico se constitui de uma série de sintomas, desde sudorese, ansiedade intensa, medo de morrer ou de que alguma coisa ruim aconteça com você ou com alguém próximo. Aconselho que você busque ajuda especializada para poder identificar o que está ocorrendo e também para aconselhá-lo em relação ao melhor tratamento. Atenciosamente, Ilan


Francisco Custódio Do Nascimento

Em 10 de agosto de 2018 às 22:06

Durante toda minha vida fui perseguido por uma timidez e uma desconfiança de que não estava a altura de realizar meus desejos; sempre procurei ser aplicado, superando a minha ansiedade colocando a mão na massa e produzindo o máximo possível. Foi muito bom ler este trabalho e observar os sete sinais.
Francisco Custódio do Nascimento


Faça um comentário (seu e-mail não será publicado)